Propagandas

Pesquisar no BLOG

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Sindicato cobra esforços para encontrar assassinos de agente.

O Sindicato dos Agentes Penitenciários do Rio Grande do Norte (Sindasp-RN) disse em nota que lamenta com tristeza e indignação a morte do agente penitenciário Maxwell André Marcelino. A entidade cobra da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sejuc) providências urgentes para que os responsáveis pelo crime sejam presos. Como também, solicita a união de esforços de outras categorias, como policias civis e militares. 


"Não podemos permitir que um servidor público do Estado, em seu exercício legal da profissão, tenha a vida tirada de maneira tão violenta e os criminosos que fizeram isso continuem nas ruas. Pedimos que a cúpula da Segurança Pública use de todos os recursos de investigação que dispõe para solucionar esse caso o mais rápido possível."

O Sindasp comunicou que Maxwell trabalhava no Presídio Estadual de Parnamirim, e era um dos primeiros profissionais contratados pelo Estado para essa função, tendo mais de dez anos de atuação no sistema penitenciário. 

A Sejuc, por meio da Coordenadoria de Administração Penitenciária (Coape), também emitiu nota de pesar, na qual se solidariza com os familiares do agente. "Maxwell André desempenhava suas funções na Penitenciária Estadual de Parnamirim e prestou um excelente trabalho ao Sistema Penitenciário do Estado".

O CASO

O agente penitenciário Maxwell André Marcelino, de 44 anos, foi morto quando levava de volta ao PEP o detento Wilson Rodrigues de Medeiros, vulgo Folha, acompanhado por outro agente penitenciário. Um carro com três homens e uma mulher abordou os agentes e iniciaram a troca de tiros, resultando na morte de Maxwell André. 

Os criminosos fugiram sem conseguir resgatar o detento, que seria beneficiado pela progressão de regime a partir de janeiro de 2014. Até o momento, somente uma suspeita de participação no crime foi presa.
TRIBUNA NO NORTE

TWITTER

Siga o BLOG pelo Google+

Google+ Seguidores

Interessados