Propagandas

Pesquisar no BLOG

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Assassinato na penitenciária.


Alex de Oliveira foi golpeado até a morte por colega de cela.

Era por volta de 4h20min de sexta-feira quando presos da galeria B da Penitenciária Estadual de Santa Maria chamaram os agentes penitenciários. O motivo era um detento que estaria passando mal. Quando os agentes chegaram à cela, o preso Alex Almeida de Oliveira, 25 anos, já estava morto. Ele foi assassinado a estocadas por outro detento.

Segundo o delegado penitenciário regional da Susepe, Vanderlei Righi, Oliveira, conhecido pelo apelido de bicicleta, havia sido transferido há 90 dias para Bagé por indisciplina, pois fazia tumulto na prisão. Depois, foi transferido para Pelotas, onde ficou um mês, e voltou na quintafeira para a penitenciária do distrito de Santo Antão.

– Ele chegou à penitenciária e pediu para ser alojado na galeria B. Ele foi colocado na cela com mais cinco presos – explicou Righi.

O autor do crime confessou aos agentes penitenciários ter matado Oliveira após uma discussão. Em depoimento ao delegado plantonista Márcio Schneider, na Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA), manteve-se calado e afirmou que... só falaria em juízo. O suspeito chegou à penitenciária em 5 de abril. Segundo Righi, ele esteve envolvido no assalto a uma joalheria em Restinga Seca, no mesmo mês, e estava preso provisoriamente. Já a vítima estava presa provisoriamente por tentativa de furto. Se o projeto de classificação dos presos – iniciativa que prevê o alojamento dos presos de acordo com a sua condição judicial – estivesse em vigor, os dois também ficariam alojados na mesma galeria.

Crime teve requintes de crueldade

Para matar Oliveira, o suspeito teria utilizado uma barra de ferro de 28cm, provavelmente retirada de uma tampa de concreto. O detento teria desferido vários golpes na vítima, principalmente na região do abdome e no tórax. O suspeito ainda teria utilizado outro pedaço de ferro em formato de gancho, com o que teria feito um corte profundo no pescoço de Oliveira. Depois disso, um dos dedos do preso teria sido decepado com uma lâmina. O suspeito teria relatado ao ser conduzido à DPPA que teria comido o dedo da vítima. O dedo não foi encontrado na cela. O último pente fino na cadeia foi há três meses. Mas segundo o delegado Righi, revistas são feitas diariamente.

Esse foi o primeiro incidente grave dentro da penitenciária desde o dia 24 de janeiro de 2011, quando o local começou a funcionar. A Penitenciária Estadual de Santa Maria conta atualmente com 426 apenados, sendo que a capacidade é para 766 homens. Oliveira foi encaminhado à penitenciária estadual novamente na sexta, mas, conforme Righi, ele deve aguardar uma decisão de transferência para outra cidade.
LICIANE BRUN|ESPECIAL

TWITTER

Siga o BLOG pelo Google+

Google+ Seguidores

Interessados