Propagandas

Pesquisar no BLOG

sexta-feira, 10 de maio de 2013

PM assume segurança nos presídios e bombas são jogadas para acalmar detentos em Rondônia.

Na noite desta última terça-feira (07), segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários (SINGEPERON), a Secretária de Segurança Pública determinou a ocupação dos presídios pela Polícia Militar (PM) e praticamente retirou todos os agentes que trabalhavam nos presídios, incluindo as direções das unidades prisionais.

O Governo alega que o sindicato já não vinha cumprindo essa determinação.

Com isso, nesta quarta-feira (08), todos os 1.100 Agentes Penitenciários da capital foram colocados compulsoriamente em greve, descumprindo o limite de 70% estabelecido pela Justiça; sendo que no Interior a situação seria a mesma.

Durante toda a manhã informações davam conta de que... supostamente pessoas ao lado de fora do presídio Urso Branco ouviram quatro disparos e logo em seguida uma ambulância, porém, tudo ainda é especulação.

Segundo a assessoria de comunicação da SEJUS (Secretaria de Justiça) a COE (Compahia de Operações Especiais) está realizando uma criteriosa revista e que bombas de efeito moral foram jogadas para amenizar a tensão entre os detentos.

Uma ambulância está no local para ser utilizada em qualquer emergência, porém, no momento a situaçao está sob controle.

De acordo com o presidente do SINGEPERON, Anderson Pereira, os agentes estão impedidos de entrarem nos presídios de Rondônia.

“Vamos informar a justiça sobre essa situação que está acontecendo em Rondônia”, disse Anderson Pereira.

Uma grande preocupação é o risco iminente de rebeliões como já ocorrido no presídio Urso Branco no passado. O motivo é que os policiais são preparados para o policiamento ostensivo e não para a guarda de presos que exige um treinamento e experiências específicas.

Outro fato grave denunciado pelo Sindicato é que as celas e alas do Urso branco estão sendo todas interligadas aumentando o risco de uma nova tragédia.

Governo e sindicato parecem cada vez mais se emaranharem em uma disputa que se não resolvida rapidamente poderá terminar com graves consequências no já combalido sistema penitenciário rondoniense.
Rondoniaovivo
João Paulo Prudêncio

TWITTER

Siga o BLOG pelo Google+

Google+ Seguidores

Interessados